A SACHS no mundo inteiro –

Sempre perto de você

Você está aqui:

América Latina Español | Português

Você está aqui:

América Latina Español | Português
worldmap

AMÉRICA LATINA

AMÉRICA LATINA

Dica útil da SACHS:

Inspeção do volante dupla massa.

Teste de estresse do volante

Com a suspeita de defeito no volante dupla massa começa a procura pela causa. Se as opções de diagnóstico de falha não forem suficientes para avaliar o volante dupla massa instalado, pode-se fazer um exame visual, mecânico ou em um banco de ensaio, sendo que este último é tarefa do fabricante.

Qualquer oficina é capaz de inspecionar facilmente um volante dupla massa, mas é importante saber com quais métodos.

Teste de estresse do volante

Com a suspeita de defeito no volante dupla massa começa a procura pela causa. Se as opções de diagnóstico de falha não forem suficientes para avaliar o volante dupla massa instalado, pode-se fazer um exame visual, mecânico ou em um banco de ensaio, sendo que este último é tarefa do fabricante.

Qualquer oficina é capaz de inspecionar facilmente um volante dupla massa, mas é importante saber com quais métodos.

De olho em tudo

Na inspeção visual, uma alteração da cor da superfície de atrito do volante secundário (seta A) indica que houve superaquecimento ou sobrecarga do volante dupla massa. Isso pode acontecer se o motorista deixa a embreagem patinar por muito tempo. Além disso, o aquecimento excessivo prolongado pode fazer a graxa especial do volante dupla massa endurecer, o que geralmente leva a falhas nos componentes.

Se houver fissuras visíveis na superfície de atrito (seta B) , é necessário trocar o volante dupla massa – caso contrário, ele quebrará. Uma coloração amarelada abaixo da superfície de atrito (seta C) também é motivo de troca, já que o mancal axial do volante dupla massa está desgastado, o que é possível ouvir ao dirigir o veículo. O fato de graxa contendo fragmentos sair de dentro do componente é outro sinal de que é preciso trocar a peça.

No controle visual, verifique se há alteração da cor (A e C) e trincas (B).
Controle visual do volante dupla massa

De olho em tudo

Na inspeção visual, uma alteração da cor da superfície de atrito do volante secundário (seta A) indica que houve superaquecimento ou sobrecarga do volante dupla massa. Isso pode acontecer se o motorista deixa a embreagem patinar por muito tempo. Além disso, o aquecimento excessivo prolongado pode fazer a graxa especial do volante dupla massa endurecer, o que geralmente leva a falhas nos componentes.

Se houver fissuras visíveis na superfície de atrito (seta B) , é necessário trocar o volante dupla massa – caso contrário, ele quebrará. Uma coloração amarelada abaixo da superfície de atrito (seta C) também é motivo de troca, já que o mancal axial do volante dupla massa está desgastado, o que é possível ouvir ao dirigir o veículo. O fato de graxa contendo fragmentos sair de dentro do componente é outro sinal de que é preciso trocar a peça.

No controle visual, verifique se há alteração da cor (A e C) e trincas (B).
Controle visual do volante dupla massa
Ao girar o volante secundário, o ângulo alcançado tem que ser idêntico dos dois lados.
Volante secundário SACHS girando até o final

Girar até o ponto máximo

Para o teste da alavanca ou mobilidade, o volante primário precisa ser fixado em uma morsa – utilizando dois parafusos nos orifícios destinados à montagem do virabrequim. Em seguida, parafusar uma alavanca de teste nos furos usados para montar a embreagem. Ao girar o volante secundário para a direita ou para a esquerda até encostar, os ângulos alcançados e a força aplicada nos dois sentidos devem ser idênticos. Além disso, não deve haver nenhuma resistência anormal durante o movimento.

Se esses critérios não forem atendidos, tudo indica que há componentes com defeito ou quebrados no volante dupla massa, o que pode provocar furos na carcaça, deixando a graxa escapar. Se o ângulo de rotação total de aproximadamente 60 graus não for alcançado nos dois lados, também é sinal de que o lubrificante está endurecido em consequência de uma sobrecarga térmica – o que é visível na alteração da cor. Nesses casos, o volante dupla massa deve ser trocado.

Ao girar o volante secundário, o ângulo alcançado tem que ser idêntico dos dois lados.
Volante secundário SACHS girando até o final

Girar até o ponto máximo

Para o teste da alavanca ou mobilidade, o volante primário precisa ser fixado em uma morsa – utilizando dois parafusos nos orifícios destinados à montagem do virabrequim. Em seguida, parafusar uma alavanca de teste nos furos usados para montar a embreagem. Ao girar o volante secundário para a direita ou para a esquerda até encostar, os ângulos alcançados e a força aplicada nos dois sentidos devem ser idênticos. Além disso, não deve haver nenhuma resistência anormal durante o movimento.

Se esses critérios não forem atendidos, tudo indica que há componentes com defeito ou quebrados no volante dupla massa, o que pode provocar furos na carcaça, deixando a graxa escapar. Se o ângulo de rotação total de aproximadamente 60 graus não for alcançado nos dois lados, também é sinal de que o lubrificante está endurecido em consequência de uma sobrecarga térmica – o que é visível na alteração da cor. Nesses casos, o volante dupla massa deve ser trocado.

Mais informações